McDonald’s Troca Hambúrgueres por Latas

MCLA-7614-Påsen_997x461px

Iniciativa muito interessante da McDonald’s sueca permitindo a “compra” de hambúrgueres por troca com latas para reciclagem. O objectivo da campanha foi o de consciencializar os jovens para a necessidade de reciclar dando-lhes um incentivo palpável e facilmente perceptível, com custos bem definidos: 1 hambúrguer custa 10 latas, 1 cheeseburguer 20 latas, e 1 Big Mac custa 40 latas. Para facilitar a recolha de latas um outdoor em Estocolmo foi transformado de forma a permitir recolher um saco de lixo para recolha de latas com a informação da campanha.

Para além de socialmente responsável, esta campanha destaca-se pela novidade, apresentando uma solução simples para um problema recorrente, e também por recorrer uma acção concreta da parte do público-alvo reforçando assim a ligação com a marca.

Ikea Austrália Coloca Showrooms Disponíveis no Airbnb

ikea-airbnb2

Se há empresa que tem vindo a utilizar de forma inovadora as novas soluções digitais para se promover é a sueca Ikea. Desde usar a possibilidade de tagging nas imagens do Facebook para permitir a clientes reclamarem para si produtos, até ao criar um site completo no Instagram, as equipas criativas da empresa sueca têm estado na vanguarda da promoção online.

Desta vez, a empresa de mobiliário destaca-se por uma parceria com o Airbnb que permite aos clientes australianos passarem uma noite num dos showrooms que a empresa tem montados nas sua loja de Sydney. A estadia é gratuita (embora seja necessário pagar a taxa de reserva do Airbnb), mas para ter a oportunidade de passar a noite na loja – com a promessa de um serviço de despertar inesquecível – os interessados têm de explicar em 25 palavras ou menos porque são merecedores da oportunidade.

Esta iniciativa enquadra-se na campanha de lançamento do catálogo de 2015 da Ikea, e será certamente um excelente forma da empresa conseguir, uma vez mais, colocar-se no foco de atenção dos consumidores e da imprensa.

Via: PSFK

Usar Remorso e Culpa Para Aumentar o Número de Dadores de Órgãos

Aumentar o número de dadores de órgãos e de sangue é uma questão essencial ao nível da saúde pública. Um pequeno aumento na percentagem de dadores pode significar um acréscimo significativo no número de vidas salvas. A maioria das campanhas realizadas para este propósito centram-se na possível necessidade futura dos alvos, procurando-os colocar na posição de, eventualmente um dia, serem eles a necessitar da generosidade de outros.

Uma outra tipologia de campanha que visa o mesmo fim, foca-se mais na criação de um sentimento de culpa, neste caso pela inacção. Um exemplo é este anúncio sul-africano:

A ideia da campanha é simples: associar o não ser dador de órgãos a um egoísmo assassino. Este princípio de culpabilização e remorso, embora não seja do agrado de todos e até seja considerado por muitos como desadequado, não deixa de ser eficaz. Há alguns anos atrás o mesmo princípio esteve na origem da alteração de conceito das campanhas de prevenção rodoviária britânicas, cujos anúncios passaram a focar mais o impacto negativo que a irresponsabilidade dos condutores tem sobre as outras pessoas, ao invés dos impactos negativos que essa responsabilidade teria sobre o próprio condutor.

Um exemplo disso e a famosa campanha “It’s 30 for a reason” cujos anúncios chocantes foram alvo de polémica pelo carácter excessivamente visual dos mesmos, como podem ver abaixo.

Onde a campanha da sul-africana falha, i.e. tem uma menor capacidade de persuasão, reside no facto de não criar uma maior empatia com as potenciais vítimas, centrando a atenção do público-alvo no impacto da acção sobre essa pessoa em particular – o que no caso da campanha da Think em cima apresentada acontece, sendo a própria vítima a relatar os factos.

Ainda assim, a melhor forma de aumentar o número de dadores continua a ser retirar as barreiras que existem para a inscrição de dadores, como tornar os formulários opt-out e não opt-in, uma vez que as pessoas tendem a seguir o caminho de menor resistência e a deixarem de actuar a inércia.

5 Artigos para Ler em 10 Minutos #7

Cinco artigos para manter a mente aberta e alerta.

Fighting Ebola, and the Conspiracy Theories (The Upshot) – os problemas ao combate da epidemia do Ébola não se restringem ao vírus em si, mas também à falta de informação e à propagação de teorias da conspiração

THE DESTRUCTION COMPANY IS WHERE RICH AMERICANS PAY TO BREAK AND SMASH STUFF (Luxury Launches) – quando é preciso libertar a tensão, os ricos fazem-no com mais glamour e com objectos mais caros

A question for Washington pollsters: How wrong must you be to never work again? (Washington Post) – uma questão pertinente face aos diversos casos de erros de análise e projecção na política norte-americana

Iberia Adds a Custom Scent in Bid to Appeal to All Five Senses (Skift) – o marketing sensorial começa a ser visto como um facto diferenciador na área da turismo, como demonstra esta iniciativa da Iberia em criar um odor único que seja facilmente identificável pelos seus clientes regulares

Building your policy house of brick or straw (Behavioural Insights Team) – um post muito interessante de David Halpern sobre a importância de aplicar uma metodologia mais experimental às tomadas de decisão políticas e sociais

5 Artigos para Ler em 10 Minutos #6

Depois da falha da passada semana, regresso com mais uma curta lista de artigos que vale a pena ler.

Edelman P.R. Firm Acts to Correct Faux Pas (NY Times) – nem as melhores empresas de relações públicas estão livres de cometerem erros, como aconteceu com a Edelman que num curto espaço de tempo se viu envolvida em 2 polémicas.

DISCOVER THE WORLD’S SHORTEST COOKING SHOW (A Source of Inspiration) – de erros para um caso de sucesso. O Armando Alves traz-nos aqui a campanha de sucesso da Fish Tales no Instagram, em torno de um programa de culinária cujos episódios têm a duração de 15 segundos!

Uber hires former Obama campaign manager (CNN Money) – debaixo de um ataque cerrado por parte dos taxistas, a Uber resolveu reforçar a sua equipa com David Plouffe, um dos principais rostos do sucesso das campanhas de Barack Obama.

NOW YOU CAN RENT A ROOM AT THE OXFORD UNIVERSITY FOR JUST £65 A NIGHT! (Luxury Launches) – quem sempre sonhou estudar em Oxford, tem agora a possiblidade de pelo menos dormir numa das residências da universidade por apenas £65. Um caso de adaptação de uma instituição centenária à contemporaneidade.

Windowless Travel in the Private Jet of the Future (PSFK) – voar num jacto privado com janelas panorâmicas: o sonho de muitos aventureiros, o pesadelo de quem sofre de vertigens ou tem medo de andar de avião.

Um Spa no Metro de Nova Iorque

A equipa do Improve Everywhere é conhecida pela sua irreverência e pela capacidade de criar momentos de animação e reflexão. Um dos últimos “números” foi a criação de um spa no metropolitano de Nova Iorque, em resposta às temperaturas elevadas que se fazem sentir nas estações deste serviço de transporte.

A ideia é óptima, e a execução é excelente. Fica a questão: quanto não ganharia uma marca se tivesse feito uma acção deste género?

Colgate: Pasta dos Dentes em Máquinas de Venda Automática

Nem sempre é fácil surpreender o público com campanhas para artigos de conveniência, como é o caso da pasta dentrífica. O normal são anúncios com gente com sorriso perfeito felizes enquanto escovam os dentes, situações embaraçosas em que dentes mal lavados prejudicam as actividades diárias das personagens, ou o simples anúncio “científico” com alguém de bata branca a enaltecer todas as vantagens de um produto face a toda a concorrência.

Mas pensar fora do convencional, às vezes traz as suas vantagens como é o caso desta campanha da Colgate que emparelhou amostras do seu produto com doces comprados numa máquina de venda automática. Para além de surpreender os consumidores, fá-lo de uma forma extremamente relevante para a categoria em que o produto se insere.