Warner Brothers e as Críticas dos Fãs de Harry Potter: O que Deve e Não Deve a Empresa Fazer

Como mencionei no meu post de ontem, a decidir adiar a estreia do próximo filma da saga Harry Potter, Harry Potter & the Half-Blood Prince, para Julho de 2009 a Warner Brothers colocou-se a jeito para se tornar o alvo da “fúria” dos fãs da obra de JK Rowling. Também dei conta de algumas das inúmeras iniciativas que grupos de fãs têm vindo a empreender para criticar e reclamar com a WB.

Posto este cenário, pouco do interesse da marca, resta saber como irá responder a WB a esta situação que, caso passe das palavras e ameaças aos actos, pode corresponder a perda de lucros no imediato e de consumidores no futuro. Até ao momento, os comentários de responsáveis da WB limitaram-se a garantir que a decisão teve por base apenas questões de aumento do lucro e não problemas técnicos relacionados com a produção do filme. Ou seja, um discurso que tem por objectivo sossegar os investidores. Daqui para a frente terão de ser os fãs os principais destinatários das comunicações da WB a respeito deste tema, isto se a empresa quiser evitar um corte no relacionamento com estes consumidores.

Posto este cenário, resolvi conjecturar sobre qual será a melhor forma da WB lidar com esta situação de forma a não perder clientes.

Os erros da Warner

Antes de mais, devo esclarecer que eu também sou fã da série e que esperava em Novembro poder ver o filme. O seu adiamento é uma desilusão, mas também tento colocar-me na perspectiva da empresa e perceber que de facto adiar para Julho pode representar um maior encaixe financeiro. Tentando distanciar-me da questão e adoptar uma perspectiva o mais objectiva possível, não deixa de ser evidente que WB lidou muito mal com esta questão e que a fúria dos fãs se deve a uma sucessão de erros de comunicação da empresa:

1. Decidir o adiamento após oficializar as datas
Uma vez oficializadas as datas – até sabia-se que Novembro seria o mês mais provável mas ainda havia incertezas – as expectativas foram criadas nos fãs e a margem de manobra da WB diminui consideravelmente. Os responsáveis da WB admitiram que a hipótese de adiar a estreia para Julho estava a ser ponderada há cerca de um mês. Teria sido mais sensato não oficializar as datas até a decisão sobre as mesmas estar completa.

2. Declarações apenas direccionadas para os investidores
Como já disse, os responsáveis da Warner falarem sobretudo para os investidores. Para os fãs, restou uma declaração de Alan Horn, presidente da empresa, que declarou que a WB adora os fãs e não faria nada para prejudicar um dos seus filmes ou a série. Obviamente não foi a melhor das declarações para apaziguar os ânimos depois de afirmar que o filme estaria pronto para Novembro se a companhia assim o entendesse. Mesmo que sincera, suou a hipocrisia!

3. Assumpção de que apenas a perspectiva de maiores lucros ditaram a decisão de adiar
Ligado ao ponto anterior. Para os investidores, saber que apenas a perspectiva de maiores lucros ditou a decisão de adiar a estreia é algo positivo. Para os fãs é sinónimo de ganância. Uma linha muito ténue ao nível da transparência que a WB não soube manter estável.

4. Falsos “pontos positivos” do adiamento
Na tentativa de tornar o cenário menos amistoso, Alan Horn afirmou que em termos positivo este adiamento significa um menor tempo de espera entre o Half-Blood Prince e a primeira parte de Deathly Hallows, o último volume da saga, e que permitiria que o filme estreasse num maior número de ecrãs IMAX. Este segundo ponto apenas vem reforçar a aposta da WB em obter mais lucros o que não irá amenizar a ira dos fãs. Quanto à diminuição do tempo de espera para o último filme, a verdade é que essa é uma recompensa que está demasiado longe no tempo para ter impacto na percepção actual da situação. Para os fãs o que conta é que terão de esperar quase 1 ano para ver o próximo filme de Harry Potter e não o tempo que terão de esperar depois.

O que não deve a Warner fazer

Tendo em conta este cenário como deve a WB reagir? Para começar vou indicar aquilo que acho que a Warner não deve fazer.

1. Pedir desculpas
Um pedido de desculpas indique que a empresa assume a decisão como um erro. Se é um erro, a postura lógica seria a sua correcção o que implica voltar às datas para Novembro de 2008.

2. Ignorar os fãs
Se resolver fechar-se e não ouvir as críticas, a WB irá apenas irritar ainda mais os fãs e fornecer ainda mais motivos para estes se sentirem ofendidos. Não quer dizer que responda a todas as críticas ou que as aceite de forma pronta, mas que mostre estar atenta ao que os fãs dizem.

3. Reagir negativamente ou minimizar as críticas
Para já tal não aconteceu, nem é provável que venha acontecer. Mas, caso a contestação suba de tom, a Warner não deve responder de forma negativa às críticas ou minimizar a importância destas. Tal como a estratégia de ignorar isso só irá prejudicar a sua posição.

Como deve reagir a Warner

O que deve então fazer a Warner? Assumindo que a única coisa que satisfaria os fãs seria a estreia do filme em Novembro e que tal é impossível, penso que a WB pode controlar perfeitamente a situação e torná-la menos agressiva para a sua marca. Ficam aqui 3 sugestões sobre como a WB pode lidar com a situação:

1. Mostrar compreensão para com os fãs, mas manter a decisão como definitiva
Devem os responsáveis da companhia reconhecer que os fãs têm todo o direito de se sentir desapontados e de criticarem a decisão. Mas devem fazê-lo de uma forma assertiva assumindo que a sua decisão é definitiva e que foi tomada tendo em conta os melhores interesses da empresa. A diferença entre esta postura e aquela que a WB tem até agora mantido centra-se no facto de se reconhecer o direito dos fãs em sentirem-se ofendidos. Parecendo que não, faz a diferença.

2. Deixar a “conversa para investidores” e passar a falar com os fãs
Alinhado com a primeira sugestão, está agora na altura do discurso da WB deixar de ter os investidores como alvo e focar-se nos fãs da série, que serão afinal que irá decidir o sucesso de bilheteira do filme. Uma boa forma de fazer isso seria com uma comunicação no site oficial do filme ou nos principais sites online onde a comunidade de fãs se reúne. Uma boa hipótese seria Alan Horn conceder uma entrevista exclusiva a esses mesmos sites onde esclarecesse a situação.

3. Compensar os fãs com distribuição de material relacionado com o filme
Esta é uma estratégia que a WB já começou a usar, com a distribuição de fotografias em alta definição aos principais sites da comunidade. Aquilo que a WB deverá fazer daqui para a frente é continuar a fornecer esse material de forma não só a apaziguar os ânimos como a manter o interesse no filme elevado. Entre este material pode-se incluir novos trailers, mais fotos, pequenos segmentos de algumas cenas mais relevantes da história, entrevistas com os actores, reportagens de bastidores, jogos online… em suma, material que normalmente surgem como extras do DVD.

Claro que, seja o que for que a Warner faça, o sentimento de desilusão por parte dos fãs não irá desaparecer e a imagem da marca como mais uma companhia gananciosa à procura do lucro fácil irá permanecer, seja ou não correcta. Mas a WB pode tomar medidas para minimizar o impacto das críticas e manter o interesse no filme elevado.

Anúncios

4 thoughts on “Warner Brothers e as Críticas dos Fãs de Harry Potter: O que Deve e Não Deve a Empresa Fazer

  1. Pingback: Warner Brothers Começa a Tentar Minimizar os Danos Junto dos Fãs de Harry Potter « Dissonância Cognitiva

  2. anna possebon

    Este foi o pior lance de marketing da história da Warner, pois quem é rival de bilheteria para Harry Potter? Cedrico morto pelo Lord por estar no lugar errado? fala sério quem foi o gênio que achou que algum filme está mais sendo esperado que o Harry 6? somente o Harry 7 e 8..mas o gênio desta idéia , na minha empresa estaria demitido pois os fãs de Harry já teriam comprado suas entradas 6 meses antes …e me digam, quem conseguiria esse feito? PRA MIM A WORNER SE VENDEU POR MUITO DINHEIRO PRO DESCONHECIDO PRA TIRAR NOSSO HARRY DE CENA….quer um conselho Worner? feche as portas depois dessa, poderá ser sua falência

    Responder
  3. anna possebon

    vocês por mais que tentem enganar os fãs, nada e nem ninguém quer saber…queremos Harry potter, não sou psicóloga, sou FÃ, e pra mim ele é o astro da aualidade…cedrico pode fazer quem ele quiser, até Rei Arthur que nunca fará frente a Harry Potter..ele já faz parte das familias no mundo…seus livros já são coleção em prateleiras e o pateta do marketeiro acha que pode segurar a fúria contanto mentiras? no lancamento dele junto com Piratas do Caribe(outra grande performance do cinema) nem assim abalou o sonho de Hogwarts e seus bruxinhos….e só não digo mais nada porque eu queria que a justiça fosse feita

    Responder
  4. anna possebon

    A minha vontadade é repetir milhares de vezes a mesma coisa vcs fracassaram nesta estratégia porque só eu, já li 4 vezes o enigma do príncipe pra não perder um só lance do filme que já faz parte da vida das nossas familias, pais e filhos, sejam crianças, jovens, adolescentes, até nossos pais e avós são fascinados por eles..e vem um marketeiro desinformado achar que algém seria páreo pro nosso Harry? se demite e voltem ao programado antes que seja tarde demais pois a warner se queimando desta forma perderá fãs no mundo inteiro pros seus próximos lançamentos.

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s