Produtos Contagiosos: Como as Percepções Negativas Acerca de um Produto Afectam Outros

A disposição de artigos numa prateleira de supermercado é cada vez mais uma área de estudo científico. As principais marcas – aquelas que têm verbas e ‘força’ de pressão – negoceiam avidamente com as grandes cadeias de retalho para poderem garantir os melhores espaços para os seus produtos. Colocá-los nos pontos mais visíveis, principalmente ao nível dos olhos, é o objectivo principal de qualquer gestor de produto de forma a garantir que os seus produtos não passam despercebidos aos consumidores, sobretudo aqueles que têm menores índices de lealdade para com a marca e que se contentam em comprar aquilo que menos esforço lhes causa (o que não serão assim tão poucos quanto isso).

Acontece que não é só com o local em que os produtos são colocados com que os marketers. É importante também ter em conta os ‘companheiros’ de prateleira e as percepções que estes despertam nos consumidores, para não se correr o risco dos seus produtos serem prejudicados em termos de percepção por contágio.

Um estudo levado a cabo na Universidade de Duke nos EUA, veio demonstrar que a avaliação de um produto pode ser afectada pelas percepções dos consumidores acerca de produtos que estavam colocados em proximidade ou em contacto com este. Produtos alimentares eram pior avaliados quando eram vistos próximos de comida para gatos do que quando vistos isoladamente ou junto de outros produtos similares. Esta transferência era ainda maior quando a embalagem dos produtos alimentares era transparente e não opaca, facto que se pode dever a uma menor percepção de impermeabilidade da embalagem, apesar de não haver diferenças a este nível entre os vários tipos de embalagem utilizadas.

Aquilo que o estudo demonstrou é que produtos que provoquem sentimentos de repulsa aos consumidores afectam negativamente a percepção destes em relação a outros produtos. Esta noção de repulsa é algo subjectiva já que o que pode afastar um dado consumidor pode ter uma conotação positiva junto de outro. Existem no entanto produtos que provocam um maior sentimento de repulsa (o que não significa que os consumidores não os comprem, até porque muitos são necessários) tais como comida para animais, produtos de higiene feminina e banha de animal. Por motivos fáceis de compreender os produtos alimentares são aqueles que se encontram mais susceptíveis de ‘sofrerem’ com este tipo de associações.

Na maior parte das superfícies comerciais, este tipo de associações é de risco reduzido já que a disposição de produtos pelas prateleiras obedece a uma ordem fixa de acordo com o tipo de produto em questão. O mesmo já não acontece em superfícies comerciais mais pequenas, ou em termos publicitários. Embora o estudo não apresente dados sobre o efeito de contágio em termos de publicidade, pode-se especular que um produto seja pior avaliado se for apresentado junto de um outro que causa repulsa aos consumidores. Será portanto uma preocupação mais a ter em conta por parte dos marketers para garantir que as percepções dos consumidores acerca dos seus produtos sejam positivas.

2 thoughts on “Produtos Contagiosos: Como as Percepções Negativas Acerca de um Produto Afectam Outros

  1. Pingback: A Importância do Nome no Sucesso Internacional de um Produto « Dissonância Cognitiva

  2. Pingback: Teoria do Contágio: Recomendações de Celebridades e Preconceitos Supersticiosos « Dissonância Cognitiva

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s