Questões de Design: Como uma Palavra pode Causar Confusão no Trânsito

Quem circula na A41, a Circular Regional Exterior do Porto (CREP), no sentido Perafita-Maia encontra na primeira saída dois possíveis destinos: o Aeroporto Francisco Sá Carneiro ou a Via Regional Interior (VRI) que permite aceder à cidade do Porto, a Matosinhos ou fazer a ligação com a A3 (Braga) ou A4 (Vila Real). A escolha do destino é feita através de uma bifurcação: à esquerda o Aeroporto, à direita a VRI. Para além da sinalização que antecede a saída, os condutores encontram – na bifurcação – sinalização indicando qual a via para o Aeroporto e qual a que dá acesso à VRI. Para além das placas, cujo aviso chega tarde de mais para uma tomada de decisão, estão pintadas na faixa que dá acesso ao Aeroporto as seguintes palavras:

AEROPORTO

O resultado disto é que se torna normal ver condutores que não conhecem a estrada a ficarem indecisos sobre qual o caminho a seguir e a terem mais tarde de voltar para trás!

Embora as palavras tenham sido escritas com o intuito de ajudar os condutores a melhor definirem o seu trajecto, a verdade é que muitas vezes acabam por ‘atrapalhar’ porque violam uma regra cultural simples: em Portugal lê-se da esquerda para a direita e de cima para baixo! Embora a palavra Aero surja primeiro, a atenção centra-se inicialmente na palavra Porto o que confunde quem pretende seguir em direcção à cidade, tanto que mais que a informação colocada relativamente à alternativa é uma placa que diz ‘VRI’, ou seja, pouco informativa para quem desconhece a região.

Não quero com isto dizer que a escrita de palavras nas vias não seja útil – honestamente não tenho dados para dizer que sim ou que não. Acontece que neste caso em particular, apenas origina mais indecisão. Como a segunda parte da palavra é igual ao nome da cidade, é normal que as pessoas percebam a indicação como sendo aquela a via para aceder ao Porto. Dificilmente tal aconteceria em Lisboa ou Faro.

A solução poderia passar ou por trocar a ordem das partes da palavra ou por colocar a palavra por inteiro – embora neste último caso não me pareça que isso seja viável por uma questão de espaço da via que não permitiria manter um tamanha facilmente legível. Uma alternativa seria a de melhor a informação vertical, trocando a placa que indica ‘VRI’ por uma que informe quais as cidades a que é possível aceder seguindo aquele via (o que já acontece mas muito antes – em termos relativos – à saída) e colocando essa mesma placa mais afastada da bifurcação.

Não se trata de um problema grave – tanto quanto sei nunca tal causou qualquer acidente de tráfego – mas não deixa de representar um incómodo para os condutores que poderia ser evitado de uma forma simples.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s