Partidos nos Social Media: Comparação entre MEP e MMS

mep_mms

Um dos aspectos mais interessantes neste ano eleitoral foi o surgir de movimentos de cidadãos insatisfeitos com a actuação dos partidos políticos e com um grande foco na mudança. Não deixa de ser interessante que Portugal, um país com 10 milhões de habitantes, conte com tantos partidos e movimentos políticos. Para terem sucesso, estes movimentos precisam de comunicar com o eleitorado, algo que é complicado pela falta de meios e de mediatismo: não movimentam grandes públicos, logo não são notícia!

Felizmente, que hoje em dia comunicar com uma dada audiência é mais fácil – e barato (já agora também pode dar milhões!) – do que nunca. A internet, sobretudo com o advento da web 2.0, dá aos partidos/movimentos políticas uma grande variedade de opções para contactar e dialogar com os seus potenciais eleitores. Não há hoje grandes barreiras que impeçam uma comunicação eficaz. É verdade que nem toda a população de eleitores será atingida pela comunicação via web, mas ainda assim as potencialidades são imensas. Não deixa por isso de ser uma surpresa a fraca presença na web de alguns desses movimentos.

Por fraca, não me estou a referir a nenhum aspecto quantitativo, mas sim qualitativo. Vou debruçar-me sobre dois desses movimentos: o Movimento Esperança Portugal (MEP) e o Movimento Mérito e Sociedade (MMS). Estes dois movimentos têm site, blog, perfil no Twitter, perfil em redes sociais (hi5, Facebook, MySpace) e canal no Youtube. Como tal estão em excelente circunstâncias para serem comparados. Nenhum dos dois tem um registo que eu classificaria como ‘Bom’ (talvez desse um ‘Satisfaz +’ ao MEP), o que, para quem se propõe a mudar Portugal e trilhar um caminho de inovação não deixa de ser estranho. Segue-se uma análise simples sem entrar em grandes detalhes sobre a presença na web destes dois movimentos.

Site

Começando por comprar os sites dos dois movimentos, parece óbvio que o MEP fez um melhor trabalho. O site – apesar de abusarem no verde – está muito bem construído, fácil de navegar, as secções relevantes são fáceis de encontrar… A única coisa de que desgosto no site é o facto da informação estar distribuída na vertical o que obriga a fazer scroll down para chegar a alguma da informação. Completamente desnecessário. Isso é a arquitectura de um blog.

Já o site do MMS é uma perfeita confusão. Demasiada informação para ser absorvida de uma só vez. Qual é o destaque? A petição, o tempo de antena, a lista de ideias? A organização deveria ser mais simples. Não encontro na homepage um único local onde possa contribuar para a campanha, ao contrário do que acontece com o MEP que tem uma bela faixa no canto superior esquerdo (na perspectiva de quem lê) em que incentiva os visitantes a fazer o mesmo.

Outro aspecto em que o MEP ganha claramente é que, apesar da arquitectura vertical do site, todos os links para os perfis do movimento na web 2.0 estão visíveis logo que se entra na página. Isso já não é verdade para o MMS, onde se torna obrigatório pesquisar pelos links – isto assumindo que o leitor sabe que o MMS tem esses perfis.

Perfis Web 2.0

Os dois movimentos têm perfis nas principais plataformas da web 2.0: twitter, facebook, hi5 e youtube. Os dois movimentos têm perfis em sites de partilha de fotos (MMS – Flickr, MEP – Picasa) que são sempre úteis. Seguem-se uma série de perfis que, podendo ser interessantes se bem explorados, não representam uma mais-valia concreta. É mesmo necessário um perfil no Technorati?

Blogs

De realçar que os 2 movimentos preferiram alojar os seus blogs oficiais em plataformas externas: Blogger para o MEP, Sapo para o MMS. Seria preferível uma solução dentro do site usando o WordPress por exemplo.

Ponto prévio: o blog do MMS tem um design horrível! Demasiado confuso (mantendo a coerência com o site), o conteúdo principal à direita da página, o uso de cores nas barras laterais (amarelo e verde claro em fundo branco?). Demasiado amador. O blog do MEP salienta-se (deixando de parte a questão do excesso de verde) por apresentar um design simples e de fácil navegação e leitura.

Twitter

Os 2 movimentos têm perfil no Twiiter, mas só para distruibuir informação. Interacção é palavra que ainda não faz parte do léxico de MEP e MMS. Ainda assim, melhor a presença do MMS que coloca links para vários artigos à mão e não recorrendo ao twitterfeed como faz o MEP. Ter presença e depois não saber aproveitá-la é quase tão mau como não estar presente. O Twitter permite aos partidos interagir com os eleitores, mas estes dois movimentes optaram por manter-se à para da conversa. Bem sei que existem vários membros dos 2 movimentos com perfis activos no Twitter, mas não é esperar um pouco a mais dos eleitores que sigam todos esses perfis?

Já agora, à data de hoje o MEP segue 784 perfis e tem 750 followers, enquanto o MMS segue 62 perfis e tem 99 followers. Clara falta de investimento, sobretudo da parte do MMS que nos brinda com mais 1 design fraquíssimo.

Youtube

Uma vez mais o MEP tem uma melhor presença no Youtube do que o MMS que se limita a publicar tempos de antena e 1 entrevista. O MEP apresenta 21 vídeos que não se limitam a spots e entrevistas. Já agora, a sequência de início dos vídeos do MMS é, à falta de melhor palavra, parola!

Facebook

Não vou realizar qualquer análise ao perfil dos movimentos no hi5, vou-me centrar apenas no Facebook. Acho que aqui o MMS começou melhor porque apostou numa Page, ao contrário do MEP que optou por um Grupo. Os grupos são demasiado limitados, já que não permitem quem quem não faça parte do mesmo veja as discussões ou interaja com o conteúdo. A melhor opção para um partido, ou para uma marca (e de acordo com as guidelines do Facebook), é criar uma página que permite que os seus fãs coloquem conteúdo e interajam. Outra vantagem das páginas sobre os grupos é o facto de ser possível os fãs da página partilharem nos seus perfis as suas interacções com a página.

Mas a vantagem do MMS limita-se mesmo à escolha do tipo de formato, porque a última actualização da página data de 25 de Junho, a data de criação da página! Tal como no Twitter, estar presente não é suficiente. É preciso estar activo para se retirar benefícios dos social media. Mesmo assim a página do MMS conta com 145 fãs.

Conclusão

Parece claro que o MEP soube aproveitar melhor as oportunidades que os social media fornecem aos partidos. Mas por ‘aproveitar melhor’ não quero dizer que o estejam a fazer muito bem, como demonstram as minhas análises aos perfis do Twitter e do Facebook. Não deixa de ser estranho ver o MMS a apresentar petições com o intuito de suspender as eleições devido à parcialidade dos meios de comunicação, e depois não aproveitar os canais de comunicação gratuitos de que dispõe. Querem mudar Portugal? Comecem por mudar a vossa filosofia de comunicação com os portugueses!

P.S. Como afirmei no Twitter, no dia 27 de Setembro irei votar no MMS já que todos os partidos/movimentos políticos que irão a votos é aquele que mais proximidade tem com as minhas opiniões.

Advertisements

2 thoughts on “Partidos nos Social Media: Comparação entre MEP e MMS

  1. Sérgio Deusdado

    Viva,

    Sou um dos responsáveis pela presença Web do MMS, e tenho a dizer-lhe que concordo com muito da sua análise. Esqueceu-se de referir algo importante no caso do MMS que é a estrutura, já muito completa, de blogues regionais muito activos. Boa parte dos distritos do continente, e até nas ilhas, têm já espaços de discussão e presença regional do MMS. Também no Twitter, o MMS opta por uma distribuição regional, basta pesquisar por MMS e encontrará vários. O próprio presidente twitta.

    Todos os espaços web que retrata e qualifica são dinâmicos e como tal evoluem, pelo que o instantâneo do dia 22 de Setembro vale apenas por esse dia. Eu exemplifico, o nosso canal do Youtube foi renovado e tem apenas alguns dias. No anterior havia bastantes mais vídeos que ainda não transitaram para o novo canal, o que acontecerá muito proximamente.

    Por último, agradeço a sua análise que me parece séria e, por se declarar votante no MMS, convido-o a entrar em contacto comigo para que nos possa ajudar a melhorar a presença web do MMS.

    Cumps,
    Sérgio Deusdado

    Responder
  2. Bruno Ribeiro Post author

    Olá Sérgio,

    Não referi os blogs regionais porque me estava a centrar apenas na estrutura central. Também sei que há vários membros do MMS que twittam, tal como no MEP, mas como digo no artigo é esperar demasiado de um eleitor que pesquise todos os perfis. Uma forma de ter conseguido contornar esse obstáculo criando uma página no site com a listagem de todos os perfis no Twitter relacionados com o MMS.

    Quanto ao seu convite, terei todo o gosto em ajudar.

    Abraço

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s