Guia (Muito) Básico do Facebook

Como parece haver ainda muita gente que confunde as coisas, resolvi criar este simples guia do Facebook. Não se trata de estratégia ou de tácticas para promover um produto. Apenas e só as regras básicas de como se deve utilizar a plataforma.

Perfis – para serem usados por indivíduos, não por marcas ou para promover produtos ou causas. Eu posso querer ser fã de uma marca, mas não vou ser ‘amigo’ dela. Marcas, produtos e organizações têm locais específicos do Facebook para se promoverem;

Grupos – devem ser criados para discutir assuntos, interesses e gostos em comum, não para servir como perfis de indivíduos ou para promover marcas. Se eu quiser criar um local no Facebook para discutir as obras de JRR Tolkien, a melhor opção é criar um grupo no qual outras pessoas podem participar. Inicialmente, era nos grupos que os fãs/clientes/detractores de uma marca ou produto se agregavam, mas como isso não era muito funcional o Facebook lançou:

Páginas – para serem usadas por marcas, produtos e celebridades. Por celebridades entenda-se pessoas realmente famosas (se bem que o critério aqui é sempre algo subjectivo), e não alguém que tem um blog e não sei quantos followers no Twitter. Exemplo simples: Bruce Springsteen tem uma página no Facebook; eu tenho um perfil. Nada melhor do que ler o guia das Páginas do Facebook para perceber o objectivo das mesmas. Embora não haja uma directriz específica sobre o caso, as páginas também podem ser usadas por websites ou blogs.

Causas – para quem quer promover uma Causa, como a recolha de donativos para instituições de caridade ou para instituições de luta contra o cancro, o Facebook tem uma ‘app’ (o marketing da Apple a funcionar) que permite fazer precisamente isso como podem ver aqui – isto não invalida que uma instituição envolvida na causa tenha uma página própria ou que sejam formados grupos para discutir o tema.

Simples, prático e a única coisa necessária para perceber é ler as indicações fornecidas pela equipa do Facebook. Ainda assim, não faltam exemplos de quem misture as coisas. Só para clarificar que isto não se trata de uma opinião ou gosto pessoal, mas simplesmente as instruções de utilização da plataforma do próprio Facebook.

3 thoughts on “Guia (Muito) Básico do Facebook

  1. Pingback: A Web Social como Ferramenta Essencial para as ONGs « Dissonância Cognitiva

  2. Pingback: Mitsubishi Gasta Dinheiro Para Mostrar que Não Percebe o Facebook « Dissonância Cognitiva

  3. Pingback: Dissonância Cognitiva: Os números de 2010 [Cortesia do Wordpress.com] | Dissonância Cognitiva

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s