Groupon: A Face Menos Bonita

A Groupon é, claramente, o novo ‘menino-bonito’ da web. As histórias de sucesso da Google e Facebook empalidecem perante o crescimento massivo da Groupon no último ano. De acordo com o USA Today as receitas da Groupon nos primeiros 4 meses de 2011 cresceram perto de 1500% face a igual período do ano anterior. Dados divulgados pela Groupon indicam que a empresa tem cerca de 83 milhões de subscriptores de e-mail em todo o Mundo, dos quais cerca de 16 milhões (20%) já efectuaram uma compra de um voucher de desconto. Se dúvidas ainda houvesse acerca do sucesso desta empresa, a recusa em vender a empresa à Google por cerca de 6 mil milhões de dólares no ano passado, e o lançamento recente de uma oferta pública inicial (IPO), adicionados à proliferação crescente de clones (à qual nem a Google resistiu), dissipam-nas por completo.

Mas afinal o ‘menino-bonito’ parece também ter uma outra face que fica escondida do público. Mas são cada vez mais as vozes que se levantam contra o modelo de negócio da Groupon e os efeitos perversos que tem sobre a economia dos pequenos e médios negócios que afirma ajudar. Os artigos críticos sobre a Groupon sucedem-se nos últimos dias, como podem ver nesta excelente compilação no blog Adland.

Dos vários artigos mencionados, destaco as seguintes passagens:

Groupon is not an Internet marketing business so much as it is the equivalent of a loan sharking business. The $21,000 that the business in this example gets for running a Groupon is essentially a very, very expensive loan. They get the cash up front, but pay for it with deep discounts over time.

TechCrunch: Why Groupon is Poised to Colapse

(…) many early-adopting merchants find that the burst in customers immediately disappears, and since they can’t perpetually discount 75%, those merchants stop using Groupon.

Knewtonblog: Groupon is a Straight-Up Ponzi Scheme

Isto não quer obviamente dizer que a Groupon não funciona para toda a gente. Há vários casos de sucesso de negócios que viram o número de clientes crescer após uma oferta na plataforma. Mas a verdade é que o número de vozes descontentes começa a acumular, e o número de negócios dispostos a experimentar a metodologia da Groupon vai diminuindo.

Advertisements

4 thoughts on “Groupon: A Face Menos Bonita

  1. Patricia Santos

    É verdade. O crescimento da Groupon foi tão massivo que as empresas sentiram-se quase na obrigação de aderir. A verdade é que uma marca não se pode esquecer do product placement e a constante aparição em campanhas de descontos vai gerar expectativas nos clientes, que deixam de querer comprar os artigos ao preço de mercado. É importante aproveitar a Groupon? Sem dúvida. Mas há que fazê-lo com inteligência e tendo em mente a marca e os objectivos que se pretendem.
    Não conhecia este blog. Kudos!

    Responder
  2. Pingback: Compras Colectivas: Mais Clientes, Mais Críticas Negativas Online | Dissonância Cognitiva

  3. Pingback: Os segredos de persuasão da Groupon | Dissonância Cognitiva

  4. Pingback: Facebook Offers: Hotel Irlandês vende 1 Milhão de Euros em 24 Horas | Dissonância Cognitiva

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s