Macaquinhos de Imitação: O Poder da Conformidade

Todos gostamos de pensar que somos independentes, que tomamos decisões ou adoptamos determinados comportamentos de acordo com aquilo que nós achamos ser o melhor. Gostamos de nos sentir impermeáveis às influências dos outros. No entanto, esta sensação de impermeabilidade não é mais do que uma ilusão. Diariamente somos “guiados” pelo comportamento dos outros, em quem procurámos pistas sobre como nos devemos comportar em situações ambíguas.

Tal ficou provado numa das mais conhecidas e importantes experiências na área de Psicologia Social, levada a cabo por Solomon Asch nos anos 50. Interessado em estudar de que forma o comportamento dos outros influencia as nossas decisões, Asch desenvolveu uma experiência muito simples que consistia na identificação correcta de linhas de igual dimensão. A cada grupo de sujeitos – a experiência era realizada em grupo – era apresentada uma linha vertical num cartão, que tinha de ser comparada com um conjunto de 3 linhas perpendiculares apresentadas num segundo cartão, sendo a tarefa dos sujeitos identificar qual destas três linhas apresentava a mesma dimensão da linha apresentada no primeiro cartão.

Uma tarefa simples e objectiva e que em condições normais resultaria numa taxa de erro baixa. Mas a experiência de Asch tinha por objectivo analisar o poder do grupo sobre o indivíduo, e não as capacidades de percepção. Para verificar esse feito os grupos que participavam na experiência foram manipulados de forma a que apenas 1 dos membros fosse realmente um participante no estudo, enquanto que os restantes eram assistentes de Asch cuja função era, a determinadas alturas, dar em conjunto respostas declaradamente erradas. O objectivo era o de perceber se os participantes errariam as suas respostas, quando era evidente qual era a resposta certa. O resultado: 75% dos participantes na experiência acabaram por se conformar com o grupo pelo menos uma vez, enquanto 5% o fez sempre.

Este estudo demonstra o quanto aquilo que os outros fazem influencia o nosso comportamento, mesmo perante estímulos onde a ambiguidade não existe. Como já aqui abordei várias vezes, o poder persuasivo da validade social – também conhecido com o efeito rebanho – é elevado, sobretudo em situações onde a resposta correcta é ambígua. Mas Asch procurou saber também de que forma é possível quebrar esta influência. Em estudos posteriores a introdução de um elemento da equipa de assistentes que dava a resposta obviamente correcta, foi suficiente para diminuir o nível de conformidade para 5 a 10%.

Para ilustrar o poder da conformidade deixo este vídeo do programa “Candid Camera” que demonstra na perfeição como as pessoas são influenciadas por aqueles que os rodeiam:

Imagem: Alpha Male, by Stuck in Customs

One thought on “Macaquinhos de Imitação: O Poder da Conformidade

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s